Ansioso por estreia, Madona elogia elenco: “Ritmo de jogo bom e só tem a crescer”

Foto: Reprodução/TV Sergipe

Na última sexta-feira, Janilson Madona foi anunciado como reforço na lateral azulina. Por ser uma posição carente no Confiança e por ele ter sido eleito o melhor do lado esquerdo na seleção do estadual, a quem diga que foi uma contratação que uniu o útil ao agradável. E o jogador realmente ficou feliz com a recepção no Sabino Ribeiro.

– A recepção da diretoria foi a melhor possível, fui muito bem recebido, a gente fica satisfeito quando chega em um clube e as pessoas te recebem bem, de forma sincera e respeitosa. Estou muito feliz com essa recepção. Ainda não tive nenhum contato com torcedor, mas eu espero que seja quando eu estiver em campo, que eu possa mostrar meu futebol assim que tiver a oportunidade para que eu possa agradar a todos porque essa é minha expectativa também. Vestir a camisa do Confiança, mostrar um bom futebol e que eu possa passar confiança para eles (torcedores) e para todos os companheiros de equipe, além da diretoria que foi quem me contratou – afirmou Janilson Madona.

A ansiedade é grande, porém Madona ainda não pode vestir a camisa do Confiança. O lateral-esquerdo ainda não foi regularizado no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF. Enquanto isso, ele ajuda com as palavras, motivando os novos companheiros. Janilson afirma que o elenco tem qualidade e a tendência é evoluir a cada jogo da Série C.

– O principal ponto positivo do time é o volume de jogo. O time vem criando oportunidades, vem tocando bem a bola, tem um ritmo de jogo bom e só tem a crescer. A gente está no caminho certo. Infelizmente perdemos alguns pontos dentro de casa, que na Série C vale muito porque é muito difícil o campeonato, mas quando você vê o time dentro do campo sabe que tem potencial pra dar, que tem corpo pra fazer uma boa competição. Então a gente está tranquilo, mas sempre se cobrando. Somos jogadores e sabemos que a equipe do Confiança tem uma torcida que cobra e vamos nos doar sempre dentro de campo para reverter em resultados positivos para eles. Vamos trabalhar firme. Nada de baixar a cabeça por ter perdido esses dois pontos em casa – ressaltou o novo lateral do Dragão.

Origem do apelido

– Surgiu quando eu fui disputar a segunda ou terceira divisão do cearense na minha cidade, de 2009 para 2010, aí todo mundo tinha um penteado pra fazer. Uns colocar trancinhas, outros amarraram o cabelo e eu como era calvo não tinha outra coisa pra fazer a não ser pintar, então eu fiz isso. Aí fomos campeões, conseguimos o acesso é surgiu uma oportunidade para eu jogar a primeira divisão em Pernambuco, em um time chamado Araripina, e lá eu tive a oportunidade de fazer um bom campeonato e o apelido acabou pegando através de uma repórter chamada Sabrina. Ela veio me entrevistar depois de um jogo contra o Santa Cruz e já veio com o nome Madona, aí olhei pra ela e depois fizeram uma matéria, pronto. A gente leva na esportiva fora de campo, mas de a gente leva a sério – explicou Janilson Madona.

Fonte: Globoesporte.com

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com