Balanço 2013: Analisando os setores do time

prancheta

Depois de um texto sobre a importância da estarmos nas rua defendendo e lutando por mais direitos, voltamos ao tema futebol e ao balanço do ano de 2013. Hoje vamos fazer uma análise dos setores do time, incluindo diretoria e comissão técnica. Tal análise com certeza está incompleta dada a minha dificuldade em analisar essas questões, sobretudo quando o envolve o lado emocional como é analisar o Confiança. Qualquer dúvida ou complemento deixe nos comentários.

DragaoStore

Loja do Dragão

A loja do Dragão está com queima de estoque, aproveite a oportunidade para renovar seus produtos azulinos. Os produtos podem ser encontrados no Sabino Ribeiro ou na Loja do Dragão na internet >> http://www.lojadodragao.net/

Setor por setor, como foi o Confiança em campo

Vamos agora fazer uma rápida análise do setores do time, análise tática e técnica não é muito a minha praia, por isso farei análises por cima para não cometer erros, alguns jogadores nem irei citar porque não tiveram nada a acrescentar:

Goleiros

Na temporada os 3 goleiros foram utilizados, Fábio começou sem a mesma segurança do passado, após sua contusão assumiu Ricardo que não repetiu as boas atuações de 2012 e terminamos com o goleiro Jerfesson que veio da base, foi bem na maioria das vezes com algumas falhas aqui e ali, mas tem potencial.

Jerfesson termina a temporada como craque revelação do campeonato Sergipano.

Zaga

Não foi tão boa quanto o ano passado e viveu (e sofreu) da experiência de Valdson que na maioria das vezes foi bem, por outro lado Alexandre não repetiu a boa temporada de 2012, quero acreditar que por conta das contusões.

Augusto2Gols

Laterais

Augusto viveu de bolas paradas e Ângelo sempre esteve abaixo da média, ainda que o último ajudasse mais a compor a defesa. Foi o pior setor do Confiança em 2013.

Meio campo

A boa surpresa dessa temporada foi o volante Richardson que mesmo numa posição de contenção mostrou boa visão de jogo com bons passes, a decepção foi Mossoró que chegou com bom currículo e boas referências e produziu muito pouco. Destaque para Joelton que sempre que entrou movimentou o jogo e fez gols, mas com a chegada de Fahel teve poucas chances.

Ataque

O ataque foi mais uma vez o nosso grande problema, poucos gol (média de 1 por jogo) e os principais atacantes Diego Neves e Da Silva não se encontraram na temporada. Dos dois Da Silva ainda teve algum destaque marcando gols, e talvez se o meio campo não fosse tão inerte ele poderia ter jogado melhor.

No final, quando a vaca já estava indo pro brejo, Wallace mostrou vontade e potencial, pena que foi tarde demais.

RochaConfiancaFortalezaCopaNordeste

Comissão técnica

Tivemos dois treinadores, Rocha que montou o time, identificado com o clube e gostava de uma boa retranca, caiu depois de uma sequência de péssimas apresentações que culminou com um derrota para o quase rebaixado Itabaiana.

Após sua queda veio Fahel Jr, que ano passado tinha treinado o River, e a essa altura o grupo, que já tinha os problemas relatados anteriormente, rachou e como pegou o barco andado nem tem como avaliar concretamente seu trabalho dada essas duas situações. O aproveitamento em números de pontos, gol pro e contra foi pior que o de Rocha.

Veja comparativo entre os treinadores:

Rocha – Aproveitamento 58,33% – Gols Pro: 18 (1,5 por Jogo) Gols Contra: 13 (1,08 por Jogo)

Fahel – Aproveitamento 38,88 % – Gols Pro: 5 (0,83 por jogo) Gols Contra (1 por jogo)

Luiz-Roberto-premio

Diretoria

Em que pese a parte administrativa e patrimonial ser bem feita (tema de futuro texto) a diretoria cometeu vários erros na gestão do futebol neste ano.

O (agora ex) diretor de futebol contratou muito mal sobretudo do meio pra frente e, na minha visão, Diego Neves e Mossoró foram seus maiores erros, sem contar outros que pouco atuaram e quando atuaram não fizeram nada.

A diretoria não se manisfestou (pelo menos publicamente) quanto à falta de preparação física dos jogadores que nos perseguiu durante toda a temporada, assim nada foi feito (e se foi não deu resultados) para resolver esse problema que foi determinante para péssimo desempenho do time no ano.

Por fim, faltou efetividade nas cobranças aos jogadores não mudaram um milimetro em suas posturas displicentes e tampouco vimos punições para tal comportamento, a impressão que tive é que a coisa correu muito frouxa e os jogadores não saíram em nenhum momento de sua zona de conforto.

Por enquanto é só, semana que vem publicaremos a última parte do balanço com análise e dados da competições disputadas pelo Confiança em 2013.

Saudações Azulina

Mike Gabriel

Comments

  1. […] hoje finalmente terminamos o balanço 2013. No primeiro texto analisamos o time de forma geral, no segundo os setores e por fim falaremos das competições que disputamos e faremos a conclusão com dicas […]

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com