Balanço: Gestão Luiz Roberto

Com o anúncio de Luiz Roberto de sua não candidatura à reeleição à presidência do Confiança resolvi fazer uma reflexão sobre a sua gestão. Quero deixar claro que é uma visão distante, de torcedor de arquibancada que não convive com o cotidiano político do clube, por isso devem ter erros e imprecisões que espero que sejam corrigidos nos comentários.

Pelos motivos que explico abaixo eu lamento a possível saída de Luiz e espero que ele reconsidere ou que consiga um substituto a altura.

É isso, vamos ao texto que ele tá mais longo que o normal.

Foto: João Áquila

Foto: João Áquila

Balanço: Gestão Luiz Roberto

Luiz Roberto foi eleito no final de 2010, assim vamos balizar esse balanço entre os anos de 2011-2013. Com a possibilidade cada vez mais real do mesmo não se candidatar à reeleição esse balanço tende a ser o final (na minha visão, claro).

Para fins didáticos e para facilitar minha vida, vou dividir o balanço em alguns temas: Pontos Positivos, Negativos e Futebol.

Pontos Positivos

Um grande, e importante, esforço dessa gestão foi a atenção à estrutura do clube, que reformou o Sabino e fez um levantamento de melhorias que foram solicitadas ao governo do estado. Caso as melhorias que o governo está analisando se consolidem, já deixará o Sabino em boas condições para mandar jogos, sobretudo com a falta do Batistão que passará boa parte do ano que vem em reformas.

Claro que precisa melhorar muito, mas dada as condições de investimento e demais necessidades do time, o avanço foi grande.

sub18-leva-trofeuOutro ponto a ser destacado e que está ligado ao anterior foi a valorização das categorias de base, trabalho iniciado na gestão de Milton, mas consolidando por Luiz. A sub-18 já é penta-campeão estadual, jogadores formados na base já estão em outros times pelo país e aproveitados pelo próprio Confiança como os casos de Valdo, Jerfesson (revelação de 2013) e Joelton.

Ainda que existam críticas quanto ao nível do sergipano sub-18 e do pouco retorno trazido com venda de jogadores, elas são injustas uma vez que a nacionalização das categorias de bases dos clubes do eixo roubam os grandes talentos logo cedo e que este trabalho ainda está em fase de consolidação e que, por diversas condições, ainda há de melhorar muito, mas o caminho está pavimentado, é só seguir.

Mais um ponto positivo na gestão de Luiz Roberto foi a consolidação do setor de Marketing do clube que aproximou, ainda mais, o time da torcida e trouxe inovações (como a loja virtual). Claro que o marketing depende de resultados em campo e isso foi um complicador para que as ações desta área tivessem mais efetividade.

Por fim, o planejamento feito antes de cada temporada. A implantação dessa política atesta o profissionalismo que foi a marca da gestão de Luiz. Ainda que os resultados não tivessem vindo, a culpa não foi do planejamento, afinal planejar não é garantir resultados. Continuando essa estratégia de fazer planejamento teremos uma melhoria na filosofia de trabalho do clube que trará resultados consistentes e por muito tempo.

Pontos Negativos

O programa sócio torcedor além de representar uma proximidade ainda maior de parte da torcida com o cotidiano do clube é uma fonte de renda que pode se tornar significativa a partir da maior adesão. Porém, faltaram ações no sentido de divulgar e tornar o programa mais atrativo como ampliação da rede credenciada, quiosque/loja em locais de maior circulação como shoppings e centro da cidade, campanhas publicitárias e etc.

Tais ações, ainda que tenham custos, garantiria um ganho de marca e financeiro (com a adesão de novos sócios) que viabilizaria esse custo no curto/médio prazo. Mas, o programa de sócios ficou restrito a meia entrada e informes (não regulares) no site do clube.

Outro ponto negativo foi a pouca valorização de outras modalidades esportivas, visto que o clube nasceu do vôlei e basquete. O que existe hoje é mais uma cessão de marca do que uma ação efetiva do clube. E quando falo em apoio a outros esportes nem penso em montar times para disputar a super-liga de vôlei ou no NBB (Novo Basquete Brasil), mas ações de base com cunho social que pode ter parceria de empresas e órgãos estatais.

Por fim, um dos problemas relacionados ao futebol é com a diretoria de futebol que cometeu muito erros durante a gestão e o mais grave deles foi a demissão de técnicos no meio da temporada. Com essas medidas o planejamento fica comprometido, há um aumento da folha salarial com a chegada de novos jogadores e desperdício de talentos quando jogadores são encostados pelo novo técnico (com Joelton que mesmo se destacando perdeu espaço com Fahel).

DiegoNeves

Futebol

No futebol propriamente dito o melhor que a gestão de Luiz Roberto conseguiu foi um vice-campeonato sergipano e uma copa governador do estado, ambos em 2012. Olhando de longe, a maior dificuldade de Luiz foi lidar com a prática “boleira” do meio futebolístico que destoa do seu perfil de executivo e essa não é uma crítica, é um lamento.

Esse descompasso se mostrou basicamente nos dois últimos anos, quando tivemos times muito superiores (no papel) aos demais e ele simplesmente não encaixou, algo que piorou com as mudanças de técnico. Caso ele continue e consiga vencer essa disputa com a boleirice fará uma revolução no futebol sergipano.

Ainda no futebol, Luiz teve dificuldade de encontrar um diretor de futebol que agisse com firmeza e profissionalismo perante os jogadores, o ápice dessa falta de tato foi em 2013, pois mesmo nas vitórias já sentíamos um time pouco esforçado e muito soberbo, mas mesmo assim nenhuma atitude foi tomada.

Por fim, o balanço da gestão de Luiz Roberto é positivo em termos gerais, ainda que ele não tenha levantado nenhum título do campeonato sergipano, pois, está pavimentando o caminho para a estruturação e profissionalização do Confiança, possivelmente nos tornando em um futuro bem próximo o maior de Sergipe e um dos grandes do Nordeste.

Saudações Azulinas,

Mike Gabriel

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com