Confiança 1 X 1 Sergipe – A esperança, o erro de sempre e as contas pra fazer

Foto: Emanuel Rocha

Um clássico previsível e que poderia ter terminado pior para o Confiança. Assim pode ser resumido o jogo da tarde de domingo, 18/03, entre Confiança e Sergipe

Previsível, pois já era esperada a postura conservadora do Sergipe, afinal tinha vantagem na tabela e passa por um momento melhor, assim não fazia sentido se arriscar e não se arriscou, atacou pouco, se defendeu bem e conseguiu abrir o placar

Poderia ser pior justamente pela faca no pescoço com que o Confiança entrou no jogo, pois precisava da vitória para ter mais tranquilidade nas próximas partidas em busca da final, neste cenário começar perdendo e empatar quando estava pior em campo foi até bom dada as circunstâncias da partida.

A esperança

O Confiança manteve a postura defensiva de segurar mais os laterais, porém fez uma correção no ataque e Raí jogou um pouco mais recuado buscando armar o jogo junto com Everton e isso fez toda a diferença na nossa criação que dessa vez foi além dos cruzamentos buscando Frontini.

Esbarramos em algumas jogadas no fato dessa formação ser nova, o que fazia com que a bola não chegasse no tempo certo pra Frontini ou ainda na finalizações erradas como as de Iago e Everton.

Outro fato importante da nova formação, foi que ao recuar Raí e com isso povoar mais o meio campo, finalmente tivemos um jogo em que não perdemos o esse setor para o adversário, Vila e Flávio fizeram bom jogo como volantes, o primeiro conduzindo melhor a bola e o segundo impedindo as jogadas adversárias.

Parece que encontramos o melhor jeito de jogar no ataque, ainda que prefira Iago entrando no segundo tempo dando lugar a Diogo ou Léo Ceará nos 11 iniciais.

O erro de de sempre

Se o ataque melhorou a movimentação e posicionamento, a defesa voltou a errar nas bolas aéreas. Já é o terceiro jogo dos 4 últimos que tomamos gols em bolas cruzadas. Até que resistimos no primeiro tempo e não demos nenhuma chance ao Sergipe, mas tomamos gol na bola cruzada frontal que é, na teoria, a mais fácil de defender.

Outro vacilo do sistema defensivo foi usar a defesa baixa  dando espaço para o principal articulador de jogadas do Sergipe, Marino Donizete,  pensar as jogadas, liberdade essa que Raí não teve, por exemplo .

As contas que temos que fazer

Surpreendentemente ainda só dependemos de nós para ir à final, pois temos 3 pontos e com duas vitórias chegamos a 9.

Levando em conta que tudo passa por vencer o Boca em casa, os cenários com essa vitória serão:

  • O Sergipe tem 5 pontos,  se vencer o Itabaiana vai a 8,  mas deixa o tricolor com os mesmos 7 que tem hoje, assim na última rodada só precisamos vencer pra ir à final, mesmo que o Lagarto venças as duas próximas chegando a 11 pontos.
  • Em caso de vitória do Itabaiana, os tricolores vão a 10 pontos e estão na final. O Sergipe fica com 5 e mesmo empatando com o Itabaiana na última rodada o Confiança pode ir à final em caso de empate no jogo entre Sergipe e Lagarto, desde que o Lagarto não vença na próxima rodada (vide último cenário).
  • Caso o jogo entre Itabaiana e Sergipe termine empatado, Itabaiana vai a 8 pontos, Sergipe a 6 e fica tudo embolado com a final pode ser até Confiança e Lagarto a depender dos outros resultados.
  • O pior cenário para gente é em caso de vitória do Lagarto e do Itabaiana na próxima rodada, então não dependeremos mais somente de nossas forças, pois precisaremos contar com tropeço lagartense na final.

Mas para que todo esse cenário seja factível precisamos vencer o Boca na próxima segunda 26/03 no Batistão para ir a Itabaiana só precisando dos nossos esforços para estar na final, assim teremos uma semana, com um jogo contra o CRB no meio, para a preparação para o jogo. O Boca, em situações normais, já não seria um desafio complicado dentro de casa, mas como nesse ano a bruxa tá solta, precisamos nos concentrar bastante e vencer para poder ir com vida para a última rodada.

Saudações azulinas,

    Mike Gabriel
  • Klinger Souza

    Muita atenção contra o Boca… Não podemos esquecer o Socorrense, teoricamente também seria fácil, porém…