Confiança vence, mas sai revoltado com arbitragem: 2 a 1

Confianca_River_Jogo01_00Na primeira partida da semifinal do Campeonato Sergipano de 2013, uma série de fatores voltaram a se repetir. Um equilíbrio grande entre as duas técnicas e qualificadas equipes de Confiança e River, que foram seriamente prejudicadas por uma arbitragem, mais uma vez, desastrosa.

O principal prejudicado da tarde do domingo que marcava o dia das Mães foi o Confiança. Os consecutivos erros do árbitro Claudionor dos Santos Júnior irritaram muito a torcida proletária. O clima tenso levou o presidente de clube do Bairro Industrial, Luiz Roberto Dantas, a entrar em campo para protestar contra a arbitragem.

O Confiança pretende entrar com um pedido de solicitação de arbitragem não-sergipana para a segunda partida contra o River Plate. A possibilidade de se concretizar o desejo azulino é muito pequena, diante da regra que estipular um prazo mínimo de 72 horas de antecipação à partida em questão.

O jogo

Consideradas as duas equipes mais técnicas do torneio, Confiança e River entraram em campo jogando de forma cautelosa. Os primeiros 10 minutos de jogo se reduziram ao estudo de jogo das equipes e jogadas menos ousadas.

O primeiro lance surgiu com Wallace, que  fez fila pela esquerda, mas conclui mal, para fora. O River respondeu logo depois em boa trama pela direita, em troca de passes de Magno e Bibi, o cruzamento chegou em Kivel que mandou um lindo voleio e Jerfesson fez uma defesa sensacional.

O Confiança reagiu em lance pela direita, que Jean Alisson cruzou e Wallace cabeceou para fora. Logo depois, aplicando velocidade e dominando a partida, em bom lance de Da Silva e Jean Alisson, que cruzou para Angelo chegar batendo para fora. O lance surgiu de uma falha da zaga, que resultou em discussão entre Raulino e Mizael.

Confianca_River_Jogo01_02

Faltava ao Confiança um maior apoio dos alas. Quando Da Silva acionou Angelo pelo lado direito, o camisa 2 azulino invadiu o campo de defesa adversário, tocou para Wallace, que cortou a zaga e devolveu com um bom passe. Bastou a Angelo tocar na saída de Pablo e ver a bola balançar o capim no fun do gol. 1 a 0 Dragão.

Aos 34 minutos, um lance muito parecido com o do gol foi desperdiçado pelo Dragão. Dessa vez foi Richardson que bateu muito mal, por cima.

Mas não demorou muito e o River ajudou o Confiança. Na lado direito próximo ao meio campo Lelê inventou de recuar a bola e acabou entregando para Da Silva, que avançou, driblou o goleiro Pablo e empurrou para o fundo do gol. 2 a 0 Dragão.

Wallace teve a chance de ampliar logo na sequencia em novo vacilo da zaga do River, Wallace saiu de cara com Pablo, mas deperdiçou uma grande chance.

O primeiro tempo se encerrou com amplo domínio de jogo do Dragão, num placar em 2 a 0 merecido.

Segundo tempo

A exemplo do que vem acontecendo em todas as partidas, o Confiança tem tido dificuldade em manter o mesmo ritmo de jogo após o intervalo. Contra o River, uma equipe veloz, que partiria para o ataque, isso fez muita diferente.

O primeiro susto foi numa confusão da zaga do Confiança, Valdson atrasa a bola na fogueira para Jerfesson, o goleirão azulino vacilou e perdeu a bola para Bibi, que desperdiçou uma grande chance, para a sorte do time do Bairro Industrial.

 Confianca_River_Jogo01_03

Os times mexeram. Fabio Junior foi acionado no lugar de Tonhão, muito mal em campo, para colocar o time para cima. O Confiança sacou Richardson, amarelado, e colocou a Lismar. A ideia era aproveitar os contra-ataques sem se expor. Os lances aconteceram, mas foram desperdiçados.

Eis que aos 22 minutos o juíz Claudionor dos Santos Júnior viu um pênalti penalti duvidoso de Angelo, que recebeu cartão amarelo. Na cobrança Bibi venceu Jerfesson e diminuiu o placar para o River.

O River parecia que ia jogar em cima e pressionar o Dragão. Mas Fabio Junior, que não passou nem 10 minutos dentro de campo, acertou uma cotovelada em Angelo e foi expulso.

O desgaste físico do Confiança não colaborava com as variadas chances de contra-ataque que surgiram. Boas chances aconteceram com Wallace, Da Silva e Jean Alisson, mas foram desperdiçadas por falta de perna.

Já na reta final do jogo, aos 36 minutos, Mizael vacilou, deixou a bola escapulir, o rapido Da Silva roubou a redonda e ia avançar até o gol, mas foi seguro e derrubado. A regra, que parecia clara, foi distorcida pelo juíz que se resumiu a dar cartão amarelo para o zagueiro do River.

Confianca_River_Jogo01_01

Não adiantou reclamação. O River cozinhou a partida, tendo inclusive boas chances de empatar mesmo com um a menos, parando em Jerfesson, enquanto o Confiança pecou pela falta de criatividade na frente. Fim de jogo, Confiança 2 a 1 sobre o River.

O jogo de volta acontece na quarta-feira, 15 de maio, no estádio Fernando França em Carmópolis. O River precisa apena de uma vitória simples em 1 a 0 para seguir à final do torneio e conquistar uma vaga na Copa do Nordeste, para depois disputar uma vaga na Série D.

FICHA TÉCNICA
CONFIANÇA: Jerfesson, Angelo (Alisson), André, Valdson, Valdo e Augusto; Renato, Richardson (Lismar) e Jean Alisson (Paulinho Mossoró), Da Silva e Wallace.
RIVER PLATE: Pablo, Magno (Glauber), Bira, Mizael e Pedrinho; Tonhão (Fábio Junior), Raulino, Lelê e Everton (Charles); Bibi e Leandro Kível.
Arbitragem: Claudinior os Santos, Cleriston Cley Rios e João Batista
Cartões: Confiança: Richardson, Renato Frota, Angelo; River: Magno, Pedrinho, Bira, Fábio Junior (expulsão direta), Leandro Kivel
Gols:  Confiança: River: Bibi
Publico: 2153 presentes

 

Por Irlan Simões

Fonte: Infonet

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com