Considerações sobre o novo/velho Batistão.

Foto: Victor Ribeiro

Foto: Victor Ribeiro

E depois de dois anos o velho conhecido batistão ressurgiu como Arena Batistão. Para o bem e para o mal, a Arena tem muito mais de Batistão e muito pouco de Arena, sendo esse nome mais um misto de modinha com propaganda do governo. Apesar disso, eu achei bom, pois manteve nosso velho Batistão de sempre, incluindo seus problemas, com uma cara mais moderninha.

Eu pensei em listar o que gostei e o que não gostei, mas eu tenho pouca frescura em relação a estádio, podendo ver o jogo, entrar e sair em paz, pra mim já tá massa. Mas como prometeram um novo estádio, uma arena, segue a cornetagem.

Acessos

O acesso (lugar onde o bilhete é entregue, não o entorno) continua complicado, são poucas portas e com a conferência eletrônica as coisa piora. Resultado, gente entrando no estádio até metade do primeiro tempo. Em jogos de grande apelo como na inauguração e nos clássicos.

“Ah, mas os torcedores precisam chegar mais cedo”, de fato temos a cultura de chegar bem próximo do horário da partida, mas ainda assim o acesso precisa melhorar, afinal a capacidade máxima do Batistão não chega a 16 mil pessoas, o que perto de outras “Arenas” não chega a 1/3 de sua capacidade total.

Uma ideia é criar uma área de isolamento na parte externa onde seriam feitas as revistas e passagem por detector de metais, dessa forma esses procedimentos seriam mais rápidos, assim como a passagem pelas catracas.

Bares e Saídas

Ao longo da arquibancada existem várias saídas, mas todas elas fechadas. Assim ficam concentrados as entradas, os bares e as saídas. Resultado, sufoco pra chegar, sufoco pra comprar comida e bebida e sufoco pra sair, mesmo tendo outras saídas que poderiam ser utilizadas.

Com certeza esse fechamento tem algo a ver com a segurança, mas ainda assim a administração do Batistão precisa pensar em estratégias de segurança que não necessitem fechar esses locais, que em jogos de pouco público faz todo sentido, mas em jogos maiores não.

Ainda no quesito bares, o serviço continua no “salve-se quem puder” e comprar alguma coisa torna-se uma pequena aventura, sobretudo se você estiver com crianças. O ideal seria a compra de tickets em uma área e a retirada da comida/bebida em outra, facilitando o fluxo, além das questões de higiene.

Por fim, acabar com o trabalho infantil no interior do estádio, como já foi falado antes.

Banheiros

Os banheiros deram uma boa melhorada, mas falta um fraldário ou banheiro família para quem levar criança ao estádio, eu mesmo já passei perrengue com minha filha para ir ao banheiro.

Novidades

O “afundamento” do gramado e a colocação dos vidros melhorou a visão do jogo. Já as cadeiras pra mim não melhora e nem piora, ainda que os movimentos contra o futebol moderno as odeiem

Avaliação geral

Em termos gerais o estádio mudou pouco, o que acho bom uma vez que não foi criado um elefante branco e nem o encheram de frescuras que viessem a encarecer o ingresso.

Saudações Azulinas,

Mike Gabriel

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com