Direto do Jogo: Confiança 1 x 0 Fortaleza

confianca_x_fortaleza
Foto: João Áquila / GloboEsporte.com

Em terra de Dragão, Leão ruge baixo! Foi lindo, sofrido, brigado, gritado e todos os adjetivos que você quiser, mas foi a maior vitória do Confiança no ano, foi o momento em que esperamos muito para acontecer, onde o Confiança entedendo suas limitações se imporia com raça, disciplina tática e talento dentro do Batistão. Por isso a torcida saiu enlouquecida do Batistão, cantando nas escadarias e do lado de fora do estádio.

Com a vitória mantivemos a sexta posição, e estamos a 3 ponto do G4 e a 4 da zona de rebaixamento, ou seja, literalmente no meio do caminho.

Nosso próximo jogo é contra o América/RN, em Natal no sábado às 19hs. O time Potiguar ainda tem o Vasco/RJ no meio de semana pela Copa do Brasil, o que pode ser uma vantagem pra gente.

1º Tempo

Betinho entrou com a formação que está mudando a cara e a classificação do Confiança na série C, 4-3-3 com 2 volantes, 1 meia, Kível enfiado e Bibi e Diego voltando e ajudando na meia. A escalação propriamente dita foi:  Everson; Amaral, Alex Lima, João Paulo e Pedrinho; Elielton, Richardson e Almir Dias; Diego Ceará, Bibi e Leandro Kivel.  (Dê nota para a atuação de cada um)

O interessante foi que a imprensa noticiou que Betinho iria entrar com Valdo na zaga, jogando no 3-5-2, mas isso não se confirmou (ainda bem). Ou Betinho fez jogos mentais com Chamusca para confundir o técnico tricolor, ou todos comemos bola.

O Confiança começou o jogo bem posicionado, tocando bem a bola e jogando com as laterais, sem descuidar da marcação. Como pegou um bom time pela frente, não tinha sentido ir pro abafa, mas tocar e envolver o adversário. Num desses toques de bola, aos 13 do primeiro tempo, abriu-se um espaço e Almir bateu de fora, sem chances para Berna. Golaço e Dragão na frente do Leão.

Após o gol a torcida continuou apoiando e o Confiança foi pra cima do Fortaleza, abrindo espaço para alguns contra ataques, mas nenhum com grande perigo.

Por volta do 30 do primeiro tempo, o juiz resolveu aparecer mais que os jogadores e começou a inverter faltas, marcar qualquer contato contra o Confiança e amarelar nossos jogadores. Torcida revoltada e jogadores tensos, nessa brecha o Fortaleza cresceu.

No fim do primeiro tempo o Fortaleza avançou um pouco sua marcação para tentar forçar um erro azulino, o que não aconteceu, o toque de bola continuou e ao final do primeiro tempo o jogo estava mais equilibrado, ainda que as chances mais perigosas fossem do Confiança.

2º tempo

Na volta do jogo, o Fortaleza veio pra cima e pressionou o Confiança que já não conseguia trocar passes como no primeiro tempo e assim perdemos o meio de campo e só articulamos jogadas ofensivas em contra ataques. Essa foi a tônica de quase todo o segundo tempo, pressão tricolor, sobretudo entrando pelo lado esquerdo da nossa defesa e contra ataque do Confiança.

Aos 21, já com Wallace/PE no lugar de Almir, Everson começa a dar show em grande defesa depois da cabeçada de Lúcio Maranhão, que no rebote chutou por cima. Algum tempo depois o próprio Maranhão esbarra em Everson, em uma jogada que teve até bola na trave. Nesse meio tempo Richardson deu bom chute pra grande defesa de Berna.

Com a pressão tricolor, Betinho fez mais duas alterações Everton no lugar de Pedrinho e Valdo no lugar de Diego Ceará, a última já no final do segundo tempo e com o intuito de segurar o Fortaleza. Diante da atuação quase perfeita da nossa zaga, não deu pra avaliar o quanto elas ajudaram a segurar o resultado.

No finzinho do jogo o juiz ainda expulsa Kível de forma questionável, mas isso não atrapalha. Termina o segundo tempo, vitória azulina para uma torcida enlouquecida.

Avaliação

Finalmente tivemos dimensão da melhora do Confiança, que começou no jogo contra o Botafogo/PB e veio numa crescente, sobretudo depois da parada da Copa América. Depois de uma Copa do Nordeste ruim, Copa do Brasil patética e início preocupante na série C, já estamos 4 jogos sem perder (2 vitórias e 2 empates) e encontramos um estilo de jogar.

A presença da torcida foi algo fantástico, ganhamos esse jogo no grito que veio da arquibancada, que apoiou o tempo todo e até mais, afinal as escadarias de acesso e o lado de fora do Batistão continuaram pulsando aos gritos dos proletários, que tanto esperaram por esse momento e ele veio. O papo de lutar pra não cair já era, agora é Vamos Subir Dragão!

Saudações Azulina,

Mike Gabriel