Dirigentes recém-eleitos renunciam, mas o presidente azulino questiona

Foto: Reprodução/TV Sergipe
Foto: Reprodução/TV Sergipe

Na tarde desta sexta-feira um dos assuntos mais falados pela torcida azulina foi a lista divulgada pela diretoria de forma oficial com 20 jogadores que já estão confirmados para 2017. Mas teve outra coisa que chamou muita atenção, que começou através das redes sociais e chegou até à uma emissora de rádio da capital sergipana, a Ilha FM: dois diretores recém eleitos junto com o presidente Hyago França, Aurélio Aragão (vice-presidente financeiro) e Gilson Prado Júnior (vice-presidente administrativo) anunciaram que vão renunciar aos cargos e que, inclusive, já teriam feito uma carta para oficializar a decisão.

– Não mandaram oficialmente para mim nada até agora, nem Gilson Júnior, nem Aurélio Aragão. Sumiram do Sabino faz uma semana. Fiquei sabendo disso através de grupo de whatsapp, quando vi uma foto da carta de renúncia de Gilson Júnior. Além disso, escutei alguns áudios que ele faz acusações em meu nome e no de Ernando, mas em nenhum momento nos chamou para conversar. Não dei importância porque estava focado nas contratações do time, pois acredito que o Confiança é mais importante que qualquer racha. Fomos eleitos para trazer coisas boas para o Confiança e não para desagregar. Espero que eles me liguem para sabermos qual o rumo que o clube vai tomar se eles realmente saírem. Enquanto isso, vou tocando as coisas do clube porque eu fui eleito por 98% para ser o novo presidente e traçamos objetivos para os próximos três anos. Seria covardia minha abandonar o Confiança neste momento – explica o presidente do Dragão do Bairro Industrial.

A posição de Aurélio e de Gilson teria sido tomada a partir de uma série de insatisfações por conta decisões que não estavam sendo tomadas em conjunto. O GloboEsporte.com entrou em contato com os envolvidos, segundo Aurélio, Hyago e Ernando Rodrigues (diretor de futebol) estariam decidindo várias coisas do clube, incluindo contratações, e ele e o Gilson Júnior ficavam de fora, em segundo plano.

– Acabamos de entregar as cartas ao presidente do conselho do clube Sérgio Melo. O conselho deliberativo vai convocar reunião para a próxima terça para discutir esses dois ofícios que trazem as nossas renúncias aos cargos que fomos eleitos no dia 25 de outubro. Na pauta da reunião também terá o conselho fiscal, que vai apresentar a prestação de contas da gestão de Luiz Roberto, de 2015, e o que ocorrer. O principal ponto da nossa desistência se deu pelo fato de não concordarmos com alguns procedimentos de Hyago junto a Ernando, como contratar os jogadores sem nos consultar. Nós fomos eleitos, não entramos na chapa para sermos figurantes ou fazer papel de palhaço – destacou Aurélio Aragão.

Outro ponto levantado pelos torcedores foi com relação ao clube ter que realizar novas eleições. O presidente azulino destacou que o estatuto do Confiança não traz nenhuma ressalva quanto a isso. Hyago ainda lamentou a atitude dos até então companheiros de gestão para os próximos três anos.

– O Estatuto não diz nada, caso haja renuncia de algum diretor, sobre novas eleições. Eu vejo como um desrespeito essa renúncia deles, porque vai anular o voto daqueles torcedores que apostaram em todos nós. Acredito que pessoas que querem criar guerras políticas dentro do Confiança faltando cerca de um mês para começar o campeonato não têm uma postura que condiz com a de alguém que torce pelo Confiança de verdade – finalizou Hyago França.

Fonte: Globoesporte.com