Fim da crise? Confiança vai a Recife e vence | Artigo | Copa do Nordeste

Foto: Lucas Almeida/ADC

Por Jones Ribeiro

“O Confiança se reabilitou, após o empate em casa por 1 x 1, com a vitória pelo placar mínimo, em gol marcado ainda na primeira etapa, na partida realizada ontem, em Recife. Será que o gol marcado por Reis afasta a crise do Estádio Sabino Ribeiro?”

Parece filme repetido e espero que realmente seja. Isso porque, ano passado, o Confiança iniciou sua primeira arrancada na série B do brasileiro após vencer o Náutico, nos aflitos, por 1 x 0, após empatar no Batistão por 1 x 1, contra o Brasil de Pelotas. Depois dali, “viramos a chave” e surgiu um novo tempo para o clube no campeonato nacional.

Essa expressão (virar a chave), aliás, é bem interessante. Significa transição, evolução, como que de fato abrir um novo caminho através da fechadura de uma porta. Eu sei, parece coisa de autoajuda. Esse é, justamente, o ponto central que quero abordar.

Se a expressão faz sentido, é possível concluir que as coisas estavam andando bem. Quer dizer, no caso do Confiança, que o elenco foi relativamente bem montado, que o trabalho do treinador estava sendo bem executado, que os atletas estavam acreditando na proposta do clube e que a diretoria estava dando condições de trabalho e criando um ambiente tranquilo para o time (esse último ponto é difícil de sustentar).

Faltaria apenas moral, ânimo, força psicológica para as coisas se encaixarem.

E talvez seja isso mesmo. Deve ter razão meu amigo Roque, ao sustentar que “o trabalho de Daniel Paulista sempre precisa de algumas rodadas para se ajustar”.

Lembrando que fenômeno parecido aconteceu em 2019, quando o clube foi eliminado dolorosamente em casa diante Itabaiana, pelo estadual, e começou a série C com derrotas. A virada de chave daquele ano foi a classificação no pré-nordestão, em duelo com o Sampaio. Nascia um círculo virtuoso, que terminaria com o acesso para a série B.

Só o tempo dirá se veremos a história vai se repetir. Por enquanto, vamos curtir a vitória de ontem contra o leão de Recife e vamos nos preparar para vencer o de Salvador, no sábado. Afinal de contas, a vida de proletário é “matar um leão por dia”.

* Jones foi jogador profissional atuando pelo Confiança e faz parte do Bancada Azulina