Givanildo Sales: “não foi dinheiro, foi pelo projeto”

foto: Fillipe Araújo/ FSF

foto: Fillipe Araújo/ FSF

Novo técnico da Associação Desportiva Confiança, Givanildo Sales esclareceu ao Portal Infonet o que o fez trocar repentinamente o Club Sportivo Sergipe, time que comandou por 43 jogos em 2013, pelo seu maior rival. De acordo com ele, a razão não foi financeira, como muitos torcedores alvirrubros insatisfeitos querem acreditar.

“Se o dinheiro fosse tudo, eu teria saído do Sergipe no meio do ano, pois tanto clubes sergipanos quanto de fora estavam interessados em mim. E eu não saí: fiquei e terminei o que comecei. O que me atraiu no Confiança foi o projeto, que me agradou bastante. A diretoria quer acabar com o jejum do time, que já está há cinco anos sem títulos. É algo parecido com o que fui fazer no Sergipe, que antes da minha chegada estava há nove anos sem vencer nada. Gostei do desafio e resolvi aceitar”.

Sales também avaliou sua passagem pelo Sergipe, e considera sua missão cumprida no time. “De tudo o que prometi quando cheguei, a única coisa que não realizei foi o acesso à série C do campeonato brasileiro. Fomos campeões estaduais, campeões da copa governo do estado. Minha passagem foi positiva”.

O técnico comentou ainda a reação de alguns torcedores do Sergipe, que se prontificaram a expressar sua insatisfação com o técnico. “Recebi muitas mensagens de torcedores magoados, mas que ao mesmo tempo agradecem pela minha passagem no time. Acho normal”. Givanildo Sales também frisou que a troca de treinadores entre times rivais é prática comum no futebol.

“Já trabalhei com vários técnicos que iam para clubes arquirrivais. E para citar exemplos nacionais, Cuca treinou Cruzeiro e Atlético-MG, Joel Santana treinou todos os quatro grandes do Rio de Janeiro. É algo normal no esporte, e a partir de agora, meu trabalho está focado no Confiança”.

Fonte: Infonet

Receba notícias do Dragão no seu email::

Delivered by FeedBurner

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com