Goleiro proletário e técnico colorado comentam empate

foto: Igor Matheus
foto: Igor Matheus

O empate em 2 a 2 entre Sergipe e Confiança no Batistão no último sábado, 21, vai ficar marcado para dois personagens do jogo. Um deles, o técnico Elenilson Santos, sai de campo com uma estreia que tinha tudo para dar errado – mas acabou em redenção.

“Tomamos o segundo gol em um erro que não pode acontecer. No meio de campo o Rodrigo deveria ter rasgado a bola, viver mesmo o clássico. Mas empatamos o jogo e acho até que ficou barato, pois merecíamos sair com a vitória”.

Ainda para Elenilson, o placar foi definido praticamente pela perícia de outro personagem da partida: o goleiro azulino Éverson. “Ele fez defesas de goleiro grande. Foi o grande diferencial do jogo. Se não fosse por isso, poderíamos ter vencido”.

Heroi em um dos últimos lances da partida, o camisa 1 proletário comentou o lance que selou o empate aos 42 do segundo tempo: sua defesa de uma cabeçada de Diego Neves.“Foi uma cabeçada boa, mas consegui dar um tapa na bola e tive sorte dela bater na trave e sair”.

Éverson também deixou claro que o empate não foi nada bom para o Dragão. “Foi um jogo aberto em que os dois poderiam ter saído com a vitória, mas o empate acabou saindo amargo para nosso time”.

Fonte: Infonet