Presidente do Confiança diz não estar propenso a concorrer a reeleição

Foto: João Áquila

Foto: João Áquila

Na próxima temporada, é bem provável que o Confiança tenha um outro presidente. Luiz Roberto, que até então era nome certo para concorrer à reeleição, não se mostra propenso a continuar no cargo. Em entrevista concedida à Rádio Liberdade AM na manhã desta sexta-feira, o mandatário azulino informou que muito provavelmente não vai tentar o pleito, e se revelou desanimado com o cenário atual do futebol sergipano.

– Já conversei com outros membros da nossa diretoria e os deixei a vontade para formar chapa caso quisessem, pois a possibilidade de eu concorrer à reeleição é mínima. Cada vez mais penso e me pergunto se devo continuar com este trabalho e estou chegando à conclusão de que não devo. Para trabalhar no futebol temos que ter estômago de avestruz e cabeça de elefante para suportar. Fiquei me avaliando durante o Campeonato Sergipano e percebi que estava perdendo o controle emocional. Eu nunca discuti com ninguém na minha vida. Existem muitas coisas que nos deixam tristes, desanimados. Temos uma Federação que não promove o campeonato como deveria, não temos um plano de marketing, não temos ainda um planejamento concreto para o campeonato no próximo ano. Isso tudo desanima – disse Luiz Roberto.

O atual presidente do Confiança mostrou-se também desapontado com a falta de apoio de alguns conselheiros do clube e com as dificuldades em captar recursos.

– Temos um clube com 51 conselheiros e que apenas cerca de 20 contribuem efetivamente. A gente ainda não tem em Sergipe empresários que compreendam o retorno que o futebol dá. Muitos patrocinadores só ficam no clube enquanto ele está disputando as competições. Hoje temos, para manter o clube funcionando, um custo de R$ 40 mil mensais sem estarmos em atividade, sem termos receita dos jogos e ainda com dificuldades em cumprir com as dívidas trabalhistas. Se as eleições acontecessem hoje, certamente eu não participaria – completou o presidente, que ainda ressaltou.

– Vou amar o Confiança sempre. O amor pelo clube não acaba nunca, mas realmente estou propenso a não continuar como presidente. Quem sabe não apareça uma pessoa disposta a fazer um bom trabalho, com novas ideias.

As eleições no Confiança estão previstas para acontecer no mês de outubro. Até aqui, nenhuma chapa apresentou candidatura.

Fonte: Globoesporte.com

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com