Presidente do Confiança faz apelo por presença da PM nos estádios

Foto: João Áquila
Foto: João Áquila

No amistoso entre Confiança e CSA, na noite da última quarta-feira, no Sabino Ribeiro, houve registros de brigas entre duas torcidas organizadas do time mandante: Trovão Azul e Jovem. Coube a uma empresa de segurança privada a missão de conter os ânimos e resolver o problema. A situação evidenciou a necessidade da presença da Polícia Militar nos estádios. Atualmente, a PM não tem feito o policiamento interno nos estádios por entender que trata-se de um evento privado. Além disso, o comando da instituição diz que não há orçamento para pagar a GRAE, gratificação que os PM’s recebem para executar o serviço.

Recentemente, em reunião no Ministério Público Estadual, a instituição se posicionou que o policiamento nos jogos era de responsabilidade da Polícia Militar. O presidente do Confiança, Luiz Roberto, fez um apelo que a PM voltasse a fazer o policiamento.

– A gente estava aqui em uma partida de uma torcida só, de um time só, onde nós imaginávamos que não iria haver conflito e conflito de duas torcidas que se dizem organizadas. Então mostra que os seguranças privados atuaram, mas foi difícil para conter a situação. Isso mostra que a polícia tem que estar dentro de campo. A polícia tem que proteger os cidadãos de bem que vêm para assistir à partida de futebol pra que a gente possa ter a tranquilidade e a segurança necessárias para que não ocorra esse tipo de situação. É um apelo que nós fazemos ao Governo do Estado, é um apelo que a gente faz a Polícia Militar pra que tentem solucionar essa questão do pagamento da GRAE para que eles façam o policiamento dos jogos que acontecem no estado.

Apesar disso, a Polícia Militar de Sergipe mantém a posição de que não cabe a ela prestar este tipo de serviço. Porém, o Governo do Estado ainda não se posicionou de maneira oficial sobre o caso.

Iluminação

Outro problema registrado no amistoso foi a instabilidade na iluminação. Durante o intervalo da partida, duas torres se apagaram, o que atrasou em meia hora o início do segundo tempo. Depois disso, aos 19 minutos da etapa complementar, novo apagão e o árbitro resolveu encerrar o jogo. O mandatário azulino disse que vai buscar uma solução para o problema antes de começar o estadual.

– A gente vai fazer uma grande revisão. Os refletores estavam há muito tempo sem acender. A Energisa veio, fez a ligação, tinha gerador de suporte, os dijuntores estão aquecendo, eu não sei porque isso aconteceu porque isto aqui está na garantia, na verdade. É um problema que a gente tem que resolver até o dia da estreia do Confiança no Campeonato Sergipano – concluiu Luiz Roberto.

Fonte: Globoesporte.com