Reunião com dirigentes na Setesp define protocolos da Arena Batistão

SETESP-FSF

A Arena Batistão foi inaugurada com festa no dia 4 de janeiro e no período de apenas quatro dias, recebeu dois jogos. Confiança e Vitória na abertura da Copa do Nordeste e domingo, 8, o clássico sergipano entre Sergipe e Confiança. Foram duas partidas, de casa cheia, para que aquela arena trouxesse à tona a necessidade de ajustes operacionais  inerentes a um estádio dessa natureza.

Como todas as arenas recém-inauguradas, todos sabem que um estádio dotado de alta tecnologia como é a Arena Batistão teria que apresentar estas necessidades nos seus primeiros dias de funcionamento. “Para se ter uma ideia das dificuldades operacionais dessas arenas, muitas delas só foram se ajustar depois do decimo jogo e outras, apresentam problemas sérios até hoje”, lembrou Gilson Dória, Diretor de Esportes da Setesp.

E foi para promover alguns ajustes na operacionalidade e na logística da Arena Batistão, que se reuniram na tarde desta terça-feira 10, na sede da Setesp, com o secretário Adilson Junior e o Diretor de Esporte Gilson Dória, os representantes do Sergipe e do Confiança, o presidente Silvio Santos e Paulo Suzart, respectivamente e o presidente da Federação Sergipana de Futebol (FSF), Carivaldo Souza.

Setesp e FSF abrem mão dos ingressos

Na oportunidade foram discutidos os problemas e apontadas as soluções, para as inconformidades verificadas nos dois jogos realizados naquela praça de esportes. O problema da gratuidade foi um dos mais discutidos e na oportunidade ficou definido que, tanto a Setesp, quanto a FSF abriam mão dos 50 ingressos que cada uma tem direito, por força contratual. “Se já temos um camarote com vagas para 30 pessoas, não vejo porque ainda tenhamos que receber 50 ingressos. A Setesp abre mão desses ingressos. Até como uma forma de ajudar aos clubes”, definiu o secretário. Adilson Junior, que foi seguido na sua decisão pelo presidente da FSF, Carivaldo Souza.

Ficou definido também que como forma de conter despesas, nos jogos de pequeno porte, o estádio seria setorizado, abrindo somente alguns setores, não se utilizando toda a área disponível. Isso apresentaria uma grande economia, especialmente no chamado corpo móvel, pessoas que trabalham nos dias de jogos, como porteiros, bilheteiros e segurança, entre outros. O grupo de sócio torcedor, que hoje é registrado na coluna de gratuidade pagaria o preço simbólico de R$ 1,00 e teria esse valor computado na arrecadação. Caberá ao clube mandante do jogo, a confecção, distribuição, controle e fiscalização dos ingressos e os respectivos convites.

No que diz respeito ao acesso dos deficientes físicos, que por lei tem direito à gratuidade, ficou definido que esse acesso fica limitado ao número de 40 lugares e o acompanhante pagará meia entrada, mesmo tipo de ingresso para os idosos. Criança até cinco anos está isenta do pagamento, mas fica sem direito à cadeira. “Hoje ainda constatamos alguns problemas e essa reunião tem por objetivo encontrar soluções e minimizar esses problemas. Conseguimos o objetivo. Mas acredito que com o passar do tempo e a efetivação do sistema de códigos de barras com utilização da numeração dos assentos muitos desses problemas serão minimizados”, concluiu o secretário Adilson Junior.

Presidente do Sergipe admite equívocos na divulgação dos números da gratuidade

Domingo logo após a partida entre Sergipe e Confiança e divulgado o borderô do jogo com a arrecadação, número de pagantes e gratuitos, o número de ingressos gratuitos chamou a atenção de todos os desportistas e da imprensa especializada.

Na oportunidade a informação era de que mais de 1900 torcedores tiveram acesso gratuito à Arena Batistão, repetindo-se o que já tinha acontecido no jogo anterior, quando mais de 1500 acessos gratuitos foram registrados, isso na visão dos dirigentes. O presidente do Sergipe nas entrevistas apresentava sua revolta ao fato. “Temos uma prática aqui no estado de cortesia, mas que é exagerada. Não pode haver tantas. Espero que haja um controle maior dessa distribuição de gratuidades, para que um maior número de pessoas pague pelo ingresso. Ainda tem muita gente entrando de graça”, protestava Silvio Santos, presidente do time rubro.

Nesta terça-feira 10, na reunião com o secretário Adilson Junior e com os demais dirigentes na Setesp, Silvio Santos admite que houve equivoco na divulgação do numero de ingressos gratuitos, e informou que não saber de onde partiu a informação de mais de 1900 ingressos gratuitos. “Após o jogo quando fui solicitado para as entrevistas sobre o assunto, o repórter já me questionava com essa informação de mais de 1900 ingressos gratuitos. Mas na verdade, o número de acessos gratuitos na partida de domingo foi exatamente 647 torcedores. O que para mim já é um número muito grande, mas bem inferior aos 1900 divulgados, corrigiu o dirigente rubro.

Sobre a reunião, o presidente Sílvio Santos teceu os maiores elogios, afirmando que esse tipo de encontro era necessário que já tivesse acontecido, pois dessa forma sanou muitas dúvidas, definiu procedimentos e apresentou definições que, se aplicadas a partir de agora, irão com certeza, minimizar os problemas encontrados nesses dois primeiros jogos.

Fonte e Fotos: Governo de Sergipe