A um empate com gols da Série B, Betinho escreve história no Confiança

Foto: Felipe Martins
Foto: Felipe Martins

Gilberto Carlos do Nascimento, na linguagem da bola, Betinho. Como jogador, foi um meio-campista muito bem sucedido. Passou por grandes clubes do futebol brasileiro, como Palmeiras, Cruzeiro, Internacional…Vestiu até a camisa da seleção brasileira no fim dos anos oitenta. Como treinador, ainda é considerado um novato, busca o seu espaço em um mercado bastante competitivo. Começou como auxiliar no interior de São Paulo, teve  experiências no comando de algumas equipes paulistas. Mas é no Nordeste que ele vem ganhando status na profissão.

Em menos de dois anos como treinador do Confiança, já escreveu o nome dele como um dos técnicos mais importantes na história do clube. Ele chegou ao Sabino Ribeiro em um período de crise, em que o clube acumulava maus resultados no Campeonato Sergipano. Estreou no comando azulino em um clássico com o Sergipe, conseguiu a vitória sobre os rivais, em uma atuação de gala de Leandro Kível, que marcou três gols. Dali em diante, acumulou conquistas. Foi bicampeão sergipano, conseguiu o acesso para a Série C e agora está a um empate com gols para conseguir a tão sonhada vaga para a Série B do ano que vem.

A batalha final pelo acesso acontece no próximo domingo, às 19h, no Estádio do Café, em Londrina. Um 0 a 0 leva a decisão para os pênaltis. Empate com gols garante o time sergipano na Segundona de 2016. Ciente do momento histórico que vive no clube, Betinho se mostra otimista com a possibilidade de concretizar este sonho.

– A gente trabalha para isso (para fazer história). A gente sabe o quanto isso tudo é difícil de estar acontecendo. Estou muito feliz de estar vivendo este momento e sei que todo mundo que está aqui tem a condição de conquistar coisas ainda muito maiores pelo Confiança. E é para isso que trabalhamos diariamente – disse Betinho.

Apesar de ter a vantagem para o jogo da volta contra o Londrina, o Confiança joga fora de casa e sabe que vai encontrar inúmeras dificuldades para superar um adversário que está invicto jogando em seus domínios. Em nove partidas pela primeira fase, foram quatro vitórias e cinco empates.

– A gente não muda a nossa postura jogando fora de casa. A gente tem o momento de pressionar o adversário lá na frente, o momento de darmos um passo atrás e marcarmos atrás da linha da bola, mas nós vamos em busca do gol. Os jogadores sabem o quanto temos que trabalhar e temos que ir em busca da vitória. É lógico que a ansiedade atrapalha um pouco, os atletas não se concentram como deveriam. Mas eles sabem que, pelo objetivo que o Confiança tem pela frente, pela importância do jogo, é muito importante que todos estejam bastante focados. E todos estão. Todos estão trabalhando muito por esse acesso – concluiu Betinho.

Fonte: Globoesporte.com