O lucro financeiro de Confiança x Vasco não deve se repetir: A volta do público está fracassando no Brasil

Foto: Lucas Almeida/ADC

A diferença de procura de ingressos para o jogo contra o Vasco da Gama em relação o que foi nos jogos contra o Sampaio Corrêa e Operário foi polêmica, seja pela alta procura por parte dos vascaínos mesmo com as vendas proibidas para visitantes, seja pela postura da imprensa sergipana fazendo festa com a possibilidade da torcida azulina ser menor no estádio (e não fomos) e também pela política de preços e preparação para o jogo feita pela diretoria, que aumentou os valores e limitou a adesão de novos sócios.

Todo esse caldo ofuscou o fato que no mesmo final de semana seria a primeira rodada com público na Série A do campeonato brasileiro e que no geral os públicos foram bem aquém da capacidade liberada, como mostra matéria do site Máquina do Esporte.

Por isso a pouca presença do torcedor azulino nos primeiros jogos tá longe de indicar uma desistência da torcida ou mesmo um abandono, é um sintoma nacional e veremos porquê.

Confiança x Vasco da Gama foi exceção

O jogo contra o Vasco da Gama foi uma exceção por dois motivos, primeiro que a grande torcida do Vasco em Sergipe não tem acesso ao time sempre, então qualquer chance, mesmo com preços caros precisa ser aproveitada, afinal, vai saber daqui a quantos anos terão a mesma possibilidade.

Além disso o desrespeito de setores da mídia e a política de preços da diretoria do Confiança mexeu com os brios da torcida azulina que deu a resposta na arquibancada sendo a maioria dos torcedores presentes.

Mas esses fatores não acontecerão mais, só acontece com o Vasco por ser o único time com torcida expressiva para além de suas fronteiras disputando a série B.

Mas afinal, o que aconteceu nos jogos anteriores e o que tem acontecido Brasil afora para não termos a torcida sedenta por voltar às arquibancadas?

Ingressos caros

Para compensar a capacidade reduzida nos estádios e assim chegar ao valor mínimo para a operação do jogo não dar prejuízo, os preços do ingressos foram elevados e esse fator naturalmente afasta o torcedor, afinal o valor do ingresso é apenas um dos gastos do torcedor, precisamos contar deslocamento, comida, bebida, pais e mães que precisam pagar o ingresso de seus filhos e etc.

Assim quanto mias caro o ingresso, mais afastado estará o torcedor.

Atraso na vacinação

A vacinação no Brasil atrasou e com isso ainda temos um enorme contingente de pessoas com apenas uma dose do imunizante contra o coronavirus, assim para que esses torcedores cumpram o protocolo precisam fazer testes de detecção de covid, tais testes custam no baixo R$40,00 um valor a mais para ir ao estádio, além de deslocamento e mais o tempo demandando para ir até o local de testes.

Caso o número de vacinados com duas doses ou dose única fosse maior, essa seria uma barreira a menos.

Péssimo momento econômico do Brasil

Junte tudo isso a um dos piores momentos econômicos da história do Brasil, com desemprego e inflação em alta, gastar mais R$100,00 por pessoa para ir assistir um jogo (usando o exemplo específico de Aracaju) não é algo simples de encaixar no orçamento da maior parte das famílias.

O que fazer?

Não temos muito o que especular, os jogos precisam ser mais acessíveis financeiramente e a experiência mais agradável ao torcedor, afinal se for pra pagar caro e passar por perrengue, melhor assistir em casa mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *