Números, histórias, curiosidades: tudo sobre a história da Copa do Nordeste

Copa-do-Nordeste-2

Botafogo-PB e River-PI abrem às 21h45, em João Pessoa, a 12ª edição da Copa do Nordeste, principal competição para os clubes da região nesse início de temporada. Cada vez mais valorizada a cada ano, a competição distribuirá pouco mais de R$ 11 milhões, sendo que R$ 2,74 milhões ficará com o campeão, que assim como no ano passado também ganhará uma vaga na Copa Sul-Americana. Ao todo, serão 20 equipes distribuídas em cinco grupos, avançando para as quartas de final os campeões de cada chave, além dos três melhores segundo colocados. Pernambuco será representado pelo Sport (atual campeão), Náutico e Salgueiro.

Grupo A
Vitória, América-RN, Confiança-SE e Serrano-BA

Grupo B
Sport, Sampaio Corrêa, Coruripe-AL e Socorrense-SE

Grupo C
Náutico, Salgueiro, Moto Club e Piauí

Grupo D
Ceará, Fortaleza, Botafogo-PB e Ríver-PI

Grupo E
Bahia, CRB, Campinense e Globo-RN

A história da Copa do Nordeste em fatos e números

38
Clubes diferentes já disputaram a Copa do Nordeste, desde a 1ª edição oficial, em 1994. Alguns times “alternativos” entram nessa lista como Coritiba-SE, Palmeiras-BA e os alagoanos Miguelense, Capela e Cruzeiro, esse último semifinalista em 1994. Este ano, pela primeira vez, dois clubes do Maranhão e dois do Piauí disputarão o Regional. Com isso, e com as estreias de Globo-RN, Socorrense-SE, Coruripe-AL e Serrano-BA, o número de clubes diferentes a terem disputado ao menos uma edição do Nordestão subirá para 46.

9
Clubes da Bahia já disputaram o Nordestão. É o estado com maior número de representantes, que terá este ano mais um estreante: o Serrano. Em segundo lugar, aparece Alagoas com oito times diferentes, já contando com a participação do Coruripe, este ano. Pernambuco, Ceará, Paraíba já contaram com cinco equipes, mesmo número que Sergipe e Rio Grande do Norte chegarão este ano, com as estreias de Socorrense-SE e Globo-RN. Em Pernambuco, além do trio de ferro, já disputaram o torneio Porto e Salgueiro.

Vagas internacionais
Desde o ano passado, a Copa do Nordeste concede ao campeão uma vaga na Copa Sul-Americana. Mas isso não é uma novidade na competição. De 1997 a 1999, a CBF concedeu ao campeão regional uma vaga na extinta Copa Conmebol, disputada dessa forma por Vitória, América-RN e CSA, esse último o único que não foi campeão. Isso porque Vitória, Bahia (vice) e Sport (3º colocado), abriram mão da vaga, que acabou assim caindo no colo dos alagoanos, em 1999. Chance muito bem aproveitada, por sinal, com o alviazulino terminando com o vice-campeonato do torneio sul-americano, perdendo a final para o Tallares, da Argentina.

Arturzinho, único bicampeão
Campeão dirigindo o Vitória, em 1997, e o América-RN, em 1998, o carioca Arturzinho é o único treinador a contar com dois títulos da Copa do Nordeste. Campeão em 2014, com o Sport, o paulista Eduardo Baptista pode igualar o feito este ano. Por sinal, apenas três técnicos nordestinos conseguiram ser campeões regionais. O pernambucano Givanildo Oliveira, em 1994, com o Sport, o baiano Bobô, com o Bahia, em 2002 e o potiguar Oliveira Canindé, com o Campinense, em 2013.

O Rei Alves
13 é o número de gols que o atacante Sérgio Alves marcou defendendo o Bahia, em 2002, tornando-se o maior artilheiro em uma única edição da Copa do Nordeste. O alvirrubro Kuki, com 12, vem logo atrás, na edição de 2001.

As maiores goleadas

2002
Bahia 10 x 2 Confiança-SE
Náutico 8 x 2 Botafogo-PB

2001
Sergipe 7 x 0 Ceará

1998
Vitória 7 x 1 CRB-AL
Bahia 7 x 1 Fortaleza

Os campeões

4 títulos
Vitória (1997, 1999, 2003 e 2010)

3 títulos
Sport (1994, 2000 e 2014)

2 títulos
Bahia (2001 e 2002)

1 título
América-RN (1998)
Campinense (2003)

Fonte: Estação Rei do Baião

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *